Como fazer rapidamente um QR Code com a API do Google

Os QR Codes vêm sendo bastante utilizados atualmente, em várias áreas, para as mais diversas finalidades. Um QR Code (Quick Response Code, ou Código de Resposta Rápida) é um código de barras bidimensional. Trata-se de um tipo de código de barras desenvolvido pela empresa Denso-Wave (parte do grupo Toyota) no Japão, em 1994, inicialmente para utilização na indústria automobilística. Continue lendo

WhatsApp arrega e permite desativar a confirmação de leitura

Durou uma semana – se tanto – a modificação no WhatsApp para revelar se os seus amigos leram as mensagens que você mandou. A empresa já prepara uma atualização que dará ao usuário a oportunidade de ajustar a privacidade para dizer se quer enviar os avisos de que o chat foi lido.
Vixe...
Entregava tudo 3:)

Assim como acontece com a informação de “Última vez visto”, na qual aparece o horário em que você ficou online, o usuário que decidir não revelar se leu as mensagens ficará sem saber se os contatos leram aquilo que ele próprio mandou. Dá pra chamar isso de “política de reciprocidade” do WhatsApp: o mesmo nível de privacidade que você aplica a si mesmo torna-se o padrão para os seus amigos.
A atualização com a nova opção de privacidade está disponível no site oficial do aplicativo. É preciso baixar o arquivo .apk da versão 2.11.44. Em seguida, vá em: Configurações → Informações da conta → Privacidade. É necessário desmarcar a caixa de seleção dos Read receipts (Recibos de leitura?).
O WhatsApp costuma liberar as novas versões do app primeiro no site, para depois distribui-las nas lojas de aplicativos. É esperado que a versão 2.11.44 chegue à Play Store num futuro próximo. Ainda não se sabe quando o recurso vai aparecer para os donos de iPhones – e menos ainda para os guerreiros que usam Windows Phone.
Até um possível consenso pintar, deixo os recibos de leitura ativados. Li sim! E se não conseguir responder naquele exato momento, mando uma mensagem do tipo “Ow, agora não dá pra falar. Já te respondo, belê?”. Sem choro, sem crise.

Nono dígito chega a cidades do PA, AM, RR, AP e MA

Entrou em vigor dia 2 de novembro, o nono dígito para as linhas móveis dos estados do Pará (códigos 91,93 e 94), Amazonas (92 e 97), Roraima (95), Amapá (96) e Maranhão (98 e 99).

nono_digito_blog
Photo: VivoBlog/ Reprodução

O dígito deve ser acrescentado para qualquer ligação, originada de uma linha fixa ou móvel, para que você consiga concluir a chamada. Basta incluir o 9 na frente, como neste exemplo: (91) 9XXXX-XXXX.

Essa mudança já é válida em São Paulo (códigos 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18 e 19), Rio de Janeiro (códigos 21, 22 e 24) e Espírito Santo (códigos 27 e 28), e é exclusiva para aparelhos celulares. Telefones fixos e serviços de rádios não sofrem alterações.

Avise a todos os amigos e aproveite para mudar os contatos da sua agenda acrescentando o “9” na frente de todos os números.

Se vc possui uma agenda grande, saiba que todas as operadoras possuem aplicativos que incluem automaticamente o nono dígito em sua agenda. Existem também os aplicativos independentes que cumprem a mesma tarefa – uns são pagos e a maioria não.

 Esses apps não irão ocupar muito espaço em seu smartphone, mas vale pensar em fazer isso manualmente se você tiver uma agenda pequena. A escolha do app fica a sua escolha, sendo que você pode encontra-los procurando apenas por “Nono Digito” na loja de aplicativos do sistema do seu smartphone.

Fonte

Kali NetHunter: o software que transforma o Android em uma arma hacker

Net Hunter – Photo: Reprodução

Em meados deste mês, a Offensive Security, renomada organização na criação e treinamento de soluções de segurança digital, anunciou o lançamento de um novo projeto. Trata-se do NetHunter, uma plataforma de teste de invasões baseado no Kali Linux e no Android.

O software promove uma série de ferramentas que podem ser usadas para lançar ataques em redes wireless ou computadores com baixa proteção através de uma conexão USB.
Sendo compatível com os aparelhos da linha Nexus da Google, o NetHunter basicamente emula uma interface de interação humana e envia comandos que simulam um teclado na máquina com Windows, o qual por sua vez está programado para executar tarefas maliciosas e comprometer a segurança do sistema.

Em ação

A plataforma pode ser vista em ação no vídeo acima. Nele, o apresentador exibe um computador com Windows 8.1 — que será a “vítima” —, um Nexus 5 dotado do NetHunter e um segundo notebook, o qual também possui uma versão do SO hacker e tem a missão de atuar como servidor e dar suporte para a operação realizada pelo eletrônico portátil.
O gadget é conectado ao computador via cabo USB. Depois, é aberto o aplicativo que carrega a central de navegação e são acionados alguns recursos programados para invadir e controlar o Windows. Em seguida, é possível ver o sistema do computador sendo manipulado pelo software.
Nesse caso, foi realizado um ataque que consiste na construção de um túnel reverso HTTP para desviar o tráfego de dados da conexão com a internet para uma estação remota. Contudo, é válido salientar que o NetHunter ainda está em estágio inicial de desenvolvimento e essa é apenas uma das funções planejadas e programadas para ele.

Source:  NetHunter, Offensive Security (Vimeo) e Tecmundo.